Conceito

O objetivo desse estudo é incorporar funções de rede social ao Spotify, serviço de streaming de música. A ideia principal que o grupo seguiu foi desenvolver essas funções focando no aspecto musical. Há muitas redes sociais hoje em dia que permitem compartilhamento de qualquer mídia, a ideia aqui seria focar em compartilhamento de álbuns, músicas, artistas, playlists e tudo mais que faça sentido no contexto da música, que é a principal razão de ser do Spotify.

 

 

Pesquisa

Para entender melhor o contexto das redes sociais e o que as caracterizam, foi feita uma pesquisa tanto dos conceitos de redes sociais quanto de benchmarks da categoria, para entender as características de cada uma e as formas de interação que elas permitem aos usuários.

Fazendo uma pesquisa mais aprofundada em algumas redes sociais (LinkedIn, Facebook, Instagram, YouTube e Tinder), fizemos um levantamento das funcionalidades encontradas nelas e depois atribuímos pesos a cada funcionalidade dentro dessas redes sociais para descobrir quais seriam as mais relevantes como um todo.

 

 

Funcionalidades

A partir das pesquisas, para entrar na fase de geração de ideias, fizemos um brainstorming sobre tudo que poderia ter em uma rede social. Depois dessa lista, foi feita uma priorização baseada naquela nota anterior que algumas características receberam e na ideia de que as funções de rede social do Spotify deveriam ser voltadas para música.

 

 

Dessas funcionalidades, algumas foram selecionadas para serem implementadas no Spotify. Abaixo estão as funcionalidades e algumas características de cada uma no contexto do site. Também foi feito um levantamento dos requisitos de cada funcionalidade para auxiliar na próxima etapa, que é o desenho dos fluxos de navegação.

 

 

Fluxos de navegação

Após a definição de quais funcionalidades seriam implementadas, desenhamos os fluxos de navegação de cada uma. Nesses fluxos conseguimos perceber quais interações eram necessárias e para onde cada uma levaria. Os fluxos auxiliam não somente na interação, mas também dão uma ideia do conteúdo de cada seção.

Nesse momento foi definido que a Home do Spotify teria uma timeline dividindo espaço na tela com aqueles itens em destaque que costumam aparecer por ali. Desas forma o aspecto de rede social se daria logo na entrada.

 

 

Wireframes

Os fluxos levaram ao desenvolvimento dos wireframes. Neles utilizamos os requisitos levantados para cada funcionalidade e transformamos em elementos na tela. Para esse estudo, foi utilizada a versão web do Spotify. Abaixo estão exemplos do wireframe da timeline e de shows/eventos.

 

 

Guia de estilo

Para que essas novas funcionalidades tenham integração com o sistema que existe atualmente, é necessário utilizar os estilos de fontes, cores e elementos que fazem parte da interface do Spotify. Abaixo estão os elementos que foram reunidos e serviram de base para o desenvolvimento da interface.

 

 

Componentes

Para facilitar a implementação da interface e a reutilização dos elementos em diferentes partes dela, montamos componentes com esses ítens.

 

 

Aplicação de UI

Nessa etapa os wireframes recebem os estilos e componentes definidos anteriormente para formar uma interface pronta para apresentação. Abaixo estão alguns exemplos da tela inicial com a timeline e a função de chat.

 

 

Conclusão

Nem todas as funcionalidades que foram idealizadas chegaram a ser desenvolvidas nesse estudo, porém, mesmo assim o exercício foi bem válido e as ideias que tivemos para trazer funções de rede social para o Spotify fazem sentido. Os usuários teriam uma forma diferente de se relacionar com artistas e com seus amigos, fazendo a experiência musical ser mais social do que é hoje em dia, permitindo novas descobertas e interações.